• Camila Silva de Souza

Dicas para o e-commerce ficar em dia com a privacidade e a LGPD

Com a pandemia, o cenário de realizar compras on-line se intensificou e segue cada vez mais forte em setores como o e-commerce. Porém, esse segmento precisa estar muito atento aos cuidados com os dados de seus usuários.


Comprar no ambiente digital é uma prática que veio para ficar. Muitos que não abriam mão de fazer suas compras em lojas físicas foram obrigados a fazê-las digitalmente nos últimos anos. Segundo pesquisas, o setor pode crescer 18% até 2025, só no Brasil.

Toda essa movimentação também traz alguns riscos, como aqueles relacionados com a privacidade. Dessa maneira, os sites de e-commerce precisam estar muito atentos aos cuidados com os dados de seus usuários.

“Qualquer site que armazena algum tipo de informação de seus usuários precisa tomar certos cuidados, não só para cumprir com a LGPD, mas principalmente para garantir segurança para seus usuários. Com os e-commerces isso não é diferente. Aliás, é primordial que eles tenham atenção especial a isso, principalmente com dados de pagamento, por exemplo”, afirma Rodrigo Irarrazaval, CEO da startup de e-privacy Wibson.

Para isso, Irarrazaval deu algumas dicas relacionadas com a segurança para empresas que possuem e-commerce. Confira a seguir:

 
  • Especifique os dados coletados

É importante que a empresa tenha em mente que ela deve solicitar e guardar apenas aqueles dados que são essenciais para o serviço. Além disso, ela deve explicar para qual finalidade está usando esses dados e se eles serão compartilhados com terceiros;

Explicar o compartilhamento de dados com sites de terceiros é crucial. Isso porque se a outra empresa tiver os dados vazados, certamente os dos seus usuários também estarão expostos.


  • Atenda às solicitações de dados dos usuários

Uma pessoa é detentora de seus dados pessoais e pode solicitá-los a qualquer momento. Da mesma maneira, ela também pode pedir que a empresa os apague. Embora a maioria das empresas não cumpra esses pedidos, é obrigação delas fazer o que o real proprietário dos dados solicita.


  • Esteja pronto para mostrar o consentimento de uso de dados pessoais

Em caso de uma auditoria, as empresas de e-commerce, assim como qualquer outra, precisam mostrar para o Governo que elas estão em observância com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Um dos pontos mais importantes é mostrar que elas possuem o consentimento do usuário para usar seus dados pessoais.;

De acordo com a Emenda Constitucional 115/2022, uma empresa de pequeno porte pode terceirizar o tratamento de dados, por exemplo, não havendo a necessidade de ter um DPO interno (profissional encarregado do tratamento de dados). Contudo, ela precisa provar que está cumprindo de forma adequada.


  • Tenha uma política de privacidade de dados clara e transparente


Ter uma política de privacidade de dados, assim como um banner de cookies, são elementos básicos para mostrar que você se preocupa com a privacidade dos seus usuários. Além disso, são formas de ter o consentimento explícito para poder armazenar e processar os dados;

Para elaborar uma política de privacidade e um banner de cookies você nem precisa perder muito tempo. Já existem plataformas hoje em dia, como a Wibson, por exemplo, que faz tudo isso de forma simples e rápida;

É importante salientar também que sempre que houver alguma mudança interna com relação à manipulação dos dados dentro da empresa, os usuários deverão ser comunicados para aceitarem novamente a política.



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo