• Camila Silva de Souza

Sua senha vazou? 69% dos brasileiros dizem que não

Especialistas alertam sobre a falsa sensação de segurança que faz os internautas baixarem a guarda e colocarem seus dados em risco!


Matéria de 04/05/2022

Fonte: Ciso Advisor


O QUE É CONSIDERADO UM RISCO?


📍“Usar a mesma senha em todas as contas pode ser muito conveniente, mas é uma prática que pode ter sérias consequências, pois basta um serviço ser comprometido para que a pessoa perca o controle de toda sua vida digital.

📍O mesmo ocorre quando salvamos as senhas no navegador, escrevemos elas na agenda ou as compartilhamos com familiares com o objetivo de recuperá-las caso sejam esquecidas. Outro risco comum é usar data de nascimento, endereço ou o nome de nossos filhos para criar senhas, pois essas informações estão públicas em cadastros e até mesmo nas nossas redes sociais”, comenta Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil.


📄De acordo com um estudo de 2022, da Kaspersky em associação com a CORPA, os internautas brasileiros confiam de maneira excessiva

no uso de suas senhas. Dos entrevistados no Brasil, 69% confiam que suas senhas não foram potencialmente expostas na web — na comparação com os latinos, o Brasil lidera esse ranking.


Esses dados revelam uma falsa sensação de segurança ao considerar os graves vazamentos de dados que afetaram empresas no Brasil e no mundo. Um exemplo claro é o que aconteceu com o Facebook em abril de 2021, quando vazaram dados de mais de 50 milhões de usuários da região.


🧑‍💻O QUE OS ESPECIALISTAS DA KASPERSKY RECOMENDAM:


✅Use pelo menos 16 caracteres e inclua letras maiúsculas, minúsculas, números e símbolos;

✅Crie senhas únicas para cada conta. O risco de vazamento de dados existe sempre e a segurança de todas as contas fica comprometida caso a senha seja repetida;

✅Troque-os constantemente, a cada 3 meses é o recomendado;

✅Crie senhas que tenham uma lógica ou um significado que permita lembrá-las;

✅Use ferramentas que permitem verificar se uma senha é forte.


#cybersecurity#lgpd#cybersegurança#tecnologia#segurançadainformação#alixtecnologia

4 visualizações0 comentário