top of page
Escrevendo

Celesc: IFS para gestão de equipes

Projeto de R$ 16 milhões na empresa de energia será entregue pela ALIX.

Técnico da Celesc coloca a mão na massa, ou, melhor dito, no fio. Foto: Celesc.




A Celesc, empresa de geração, transmissão, comercialização e distribuição de eletricidade de Santa Catarina, vai implementar um software de gestão de serviços de campo da IFS, em um projeto de 16 milhões a ser entregue pela integradora ALIX.


Estão previstos 30 meses de implementação, com prazo para funcionamento completo em 2026.  O projeto será implementado em nuvem, com hospedagem no Brasil e redundância em dois data centers.


A solução será implementada em 16 escritórios da empresa e será utilizada por mais de 2 mil eletricistas, abrangendo os seguintes processos: comercial, manutenção e emergência.


A ALIX é especialista em soluções de serviços de campo (conhecidas pela sigla em inglês WMF) da IFS, uma multinacional sueca que tem entre seus fortes esse tipo de tecnologia, em especial para o setor de utilities.


A empresa tem sede em Florianópolis, com escritórios em São Paulo e Brasília. Há 20 anos no mercado, trabalha com tecnologias de fabricantes como IFS, Fortinet, Kaspersky, Veeam e Microsoft, entre outros.


A Celesc é a quinta maior distribuidora de energia elétrica do Brasil, atendendo 92% do Estado de Santa Catarina. 


“Os eventos climáticos de 2023 nos impulsionaram a melhorar cada vez mais os nossos serviços e é isso que nós vamos fazer a partir da adoção dessas novas tecnologias. A implantação desse sistema é um marco para a história de nossa empresa”, afirma o presidente da Celesc, Tarcísio Estefano Rosa. 


O ano passado foi muito chuvoso em todo o Sul do país, e, em especial em Santa Catarina. Até o final de novembro de 2023, segundo dados do governo catarinense, Santa Catarina teve apenas 48 dias sem chuva. Ou seja, a cada dez dias, oito tiveram registro de precipitação.


Para que o dia seja considerado chuvoso, é necessário que tenha uma precipitação acima de um milímetro, como prevê a Organização Mundial Meteorológica (OMM). Um milímetro é uma chuva amena, mas em muitos dias não foi esse o cenário. 


O município com o maior acúmulo de chuva em um único dia foi Praia Grande, no Sul de Santa Catarina. Em 16 de junho, choveu 254,8 milímetros — quase quatro vezes mais que a média mensal da região, que é de 70 milímetros.


Na época, a cidade decretou situação de emergência, após a passagem do fenômeno que foi influenciado por um ciclone extratropical. Muitas vezes, as fortes chuvas causaram quedas no fornecimento de energia para milhares de residências.


“As empresas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica desempenham um papel crucial na economia global, e estão enfrentando desafios significativos neste momento. Agora, mais do que nunca, elas precisam ter soluções de tecnologia de ponta como a nossa”, diz Lávio Falcão, presidente da IFS para a América Latina. 


Kommentare


bottom of page